busca no site


A aventura crítica da semiótica

Resumo / Abstract

GPESC – Grupo de pesquisa Semiótica e Culturas da Comunicação

Alessandra Werlang

Alexandre Rocha da Silva

André Correa da Silva de Araujo

Bruno Bueno Pinto Leites

Caio Ramos

Cássio de Borba Lucas

Felipe Diniz

Gabriel Nonino

Guilherme Gonçalves da Luz

Jamer Guterres de Mello

João Fabricio Flores da Cunha

Lennon Macedo

Luis Felipe Silveira de Abreu

Luiza Müller

Marcio Telles

Mario Alberto Pires de Arruda

Suelem Lopes de Freitas

Resumo

A aventura crítica da semiótica percorre as principais teses sobre a semiótica e a comunicação conforme trabalhadas na primeira etapa da pesquisa Semiótica Crítica, denominada Por uma teoria das materialidades na comunicação. Nela, o Grupo de Pesquisa Semiótica e Culturas da Comunicação procurou discutir as potencialidades e limites de uma perspectiva comunicacional não somente fundamentada nos trabalhos fundadores da semiótica (Saussure, Peirce) e desenvolvida em seus modelos estruturalistas (como em Jakobson, Barthes, Hjelmslev e Lotman), mas também revisitada pelos textos que operaram uma desconstrução do estruturalismo pelo interior dos postulados deste próprio estruturalismo (Derrida, Kristeva, Deleuze, Guattari). O artigo apresenta esta proposta pelos modos como a pesquisa trabalhou com dez desconstruções ligadas a conceitos e problemas teóricos centrais ao debate das materialidades da comunicação: semiótica, comunicação, materialidades, presença, fenômeno, representâmen, meios, signo e significante, estrutura e sistema, sugerindo uma passagem das materialidades à imanência de uma comunicação micropolítica e pós-humana.

Palavras-chave: Comunicação. Estruturalismo. Pós-estruturalismo. Semiótica crítica.

Abstract

The critical adventure of semiotics courses through the main theses about semiotics and communication that have been discussed during the first stage of the research Critical Semiotics: Towards a theory of materialities in communication. In it, the Semiotics and Communication Cultures Research Group (GPESC) discussed the potentialities and limits of a communicational perspective not only based on the founding works of semiotic research (Saussure, Peirce) and developed in its structuralist models (Jakobson, Barthes, Hjelmslev, Lotman), but also revisited by ideas that deconstructed structuralism through the postulates of this very structuralism (Derrida, Kristeva, Deleuze, Guattari). The paper presents this suggestion by means of ten deconstructions related to concepts and theoretical problems which are key to the debate around the materialities of communication: semiotics, communication, materialities, presence, phenomenon, representamen, mediums, sign and significant, structure and system. In so doing, it suggests a move from materialities towards the immanence of a micropolitical and post-human communication.

Keywords: Communicaton. Structuralism. Post-structuralism. Critical semiotics.

Paper / PDF

Download PDF

Bibliografia

Referências

BARTHES. Mitologias. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

______. O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. São Paulo: perspectiva, 1998.

______. Dois regimes de loucos: textos e entrevistas (1975 – 1995). São Paulo: Editora 34, 2016.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol 2. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

ECO, Umberto. Tratado geral de semiótica. São Paulo: Perspectiva, 1991.

ESPINOSA, Baruch. 1677/2014. Obra Completa IV: ética e compêndio de gramática da língua hebraica. Org. de J. Guinsburg, Newton Cunha, Roberto Romano. Trad. de J. Guinsburg, Newton Cunha. São Paulo: Perspectiva, 2014.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013a.

______. Ditos & Escritos II – Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013b.

______. As Palavras e As Coisas. Martins Editora, 10ª Ed, 2016.

GUMBRECHT, Hans U. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010.

FRANÇA, Vera Veiga; HOHFELDT, Antônio; MARTINO, Luiz C. (org.). Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis: Vozes, 2001.

JAKOBSON, Roman. Lingüística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1995.

KITTLER, Friedrich A. Discourse Networks: 1800-1900. Stanford, California: Stanford University Press, 1990.

______. Gramophone, Film, Typewriter. Stanford: Stanford University Press, 1999.

______. Optical Media. Nova York: Polity Press, 2010.

KRISTEVA, Julia. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva, 2012.

LACAN, Jacques. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

______. Escritos. São Paulo: Perspectiva, 2011.

LOTMAN, Iuri M. La Semiosfera I. Semiótica de la cultura y del texto. Madrid: Ediciones Frónesis Cátedra Universitat de València, 1996.

MARCONDES FILHO, Ciro. Até que ponto, de fato, nos comunicamos? São Paulo: Paulus, 2004.

______. O espelho e a máscara: o enigma da comunicação no caminho do meio. São Paulo: Discurso Editorial; Ijuí: Editora Unijuí, 2002.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro I. São Paulo: Boitempo, 2017.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

______. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2012.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • RSS
  • email
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • MySpace
  • Netvibes
  • StumbleUpon
  • Tumblr
  • Twitter
 فروش فایل آگهی رایگان