busca no site


Ashbery, Berrigan, Koch

Resumo/Abstract


Imagem: Patrícia Campinas

 

Tradução: Matias Corbett

Apresentação

John Ashbery, Ted Berrigan e Kenneth Koch são poetas xamânicos: creem no poder de cura e transformação das palavras. Aquele lance de “compor não para expressar, mas mudar a mim mesmo” que diz John Cage. Ashbery, Berrigan e Kenneth Koch fizeram parte do coletivo de arte conhecido como New York School [NYS], um grupo de amig@s que provocou muita coisa e gente durante os 1950 e 1960 na Grande Maça Metálica. São o resultado de contínuos encontros de gente como Jackson Pollock, John Cage, Merce Cunningham, Frank O’Hara et. al, dentre tantos outros e outras.

Ashbery é um dos poetas mais premiados dos EUA, Berrigan foi um dos gonzos indômitos do NYS e Koch, o único hétero dos três, certa vez chamou Eliot de o ‘Grande Ditador’ da literatura. Indo na direção contrária dos Confessionalistas, seus conterrâneos e contemporâneos, que buscavam se expressar para mudar, os poetas do NYS queriam mudar pela expressão. A poesia dos três é um vórtice perfurando Pound, Whitman, Nietzsche, Mallarmé, Baudelaire e cia. ltda. São os sons urbanos/ dança de vulvas cloacas paus de ouro sêmenando a vida./ as ruas rugem de dentro da voragem do silêncio de seus versos// poesia do é, do movimento, do devir, versos violentos, NOT ENOUGH

Poemas

Tempos Difíceis

John Ashbery

Confie em mim. O mundo gira com um orçamento apertado.
Eles não têm tempo de retornar ligações no inferno
E pagar caro por cada minuto desperdiçado. Em algum lugar
No futuro isto será filtrado através de todos os procedimentos

Mas até lá será muito tarde, o ambiente festivo
Irá prolongar-se, mas isto não importa. Mais ou menos
Sucintamente te falarão o que já sabemos há anos:
Que o poder deste clima é apenas para se conservar.

Qualquer coisa que girar ao redor disto é decoração e não pode jamais
Ser visto como algo isolado, à parte. Sacou? E
Ele mostrou uma boca repleta de dentes de alumínio ali na escuridão
Para dizer que do jeito que houver curtição, haverá, enfim.

Uma vez fizeram a grande viagem para Califórnia
E saíram dela exultantes. E agora todo dia
Terá que dissipar a noção de ser igual a todos os outros.
Com o tempo, isto chega a erguer-se com o vento, mas até lá a noite estará fechada.

Hard Times (John Ashbery) Trust me. The world is run on a shoestring./ They have no time to return the calls in hell/ And pay dearly for those wasted minutes. Somewhere/ In the future it will filter down through all the proceedings// But by then it will be too late, the festive ambience/ Will linger on but it won’t matter. More or less/ Succinctly they will tell you what we’ve all known for years:/ That the power of this climate is only to conserve itself.// Whatever twists around it is decoration and can never/ Be looked at as something isolated, apart. Get it? And/ He flashed a mouthful of aluminum teeth there in the darkness/ To tell however it gets down, that it does, at last.// Once they made the great trip to California/ And came out of it flushed. And now every day/ Will have to dispel the notion of being like all the others./ In time, it gets to stand with the wind, but by then the night is closed off.

***

3 Páginas
Ted Berrigan

Para Jack Collom

10 Coisas que eu faço Todo Dia

 

jogar poker

beber cerveja

fumar maconha

me masturbar

 

xingar

 

BY THE WATERS OF MANHATTAN

ÀS MARGENS DO RIO MANHATTAN

flor

 

 

positivo & negativo

 

ir para casa

 

ler lunch   poems

 

 

endurecer

 

 

mudanças

 

 

A vida passa

 

até que alegremente

 

blue

 

NÃO ESTAMOS CONTRATANDO

 

 

Caçando A Baleia

 

 

“e se o tempo brincar comigo de forma justa

 

estou feliz todo dia.”

 

 

O branco que seca claramente
o ataque cardíaco
a medalha de honra do congresso
uma casa no campo

 

 

NÃO BASTA

 

3 Pages (Ted Berrigan) For Jack Collom/ 10 Things I do Every Day/ play poker/ drink beer/ smoke pot/ jack off/ curse// BY THE WATERS OF MANHATTAN// flower/ positive & negative/ go home/ read   lunch   poems/ hunker down/ changes/ Life goes by/ quite merrily/ blue// NO HELP WANTED/ Hunting For The Whale/ “and if the weather plays me fair/ I’m happy every day.”/ The white that dries clear/ the heart attack/ the congressional medal of honor/ A house in the country/ NOT ENOUGH

***

Variações sobre um tema de William Carlos Williams

Kenneth Koch

1
Eu retalhei a casa que você estava guardando para morar no próximo verão.
Me desculpa, mas era manhã e eu não tinha nada pra fazer
E suas vigas de madeira eram tão convidativas.

2
Nós rimos juntos nas álceas
E eu então as borrifei com detergente.
Me perdoe. Eu simplesmente não sei o que estou fazendo.

3
Eu dei o dinheiro que você estava guardando para viver durante os próximos dez anos.
O homem que pediu por ele era um maltrapilho
e o vento firme de março na varanda estava tão suculento e frio.

4
Ontem à noite nós fomos dançar e eu quebrei sua perna.
Me perdoe. Eu fui desajeitado e
Eu queria você aqui na enfermaria, onde sou o médico!

Variations on a Theme by William Carlos Williams (Kenneth Koch) 1/ I chopped down the house that you had been saving to live in next summer./ I am sorry, but it was morning, and I had nothing to do/ and its wooden beams were so inviting.// 2/ We laughed at the hollyhocks together/ and then I sprayed them with lye./ Forgive me. I simply do not know what I am doing.// 3/ I gave away the money that you had been saving to live on for the next ten years./ The man who asked for it was shabby/ and the firm March wind on the porch was so juicy and cold.// 4/ Last evening we went dancing and I broke your leg./ Forgive me. I was clumsy and/ I wanted you here in the wards, where I am the doctor!

 

 

  • RSS
  • email
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • MySpace
  • Netvibes
  • StumbleUpon
  • Tumblr
  • Twitter