busca no site


Do livro de Maquiavel ao banco de dados de Manovich: a evolução das formas de hegemonia a partir dos suportes para a informação

Resumo/Abstract
Renata Lipia Lima

Resumo

A pesquisa objetiva investigar, por intermédio do conceito teórico de “Príncipe”, as formas de organização da sociedade e a evolução nas formas de hegemonia. Os meios de comunicação aparecem como fios condutores desse processo. A partir disso, então, jogaremos luz sobre a batalha entre o banco de dados e as narrativas nas mídias modernas, visando entender como a linguagem e as variadas formas de leitura podem interferir diretamente na confrontação das ideias, na direção moral, intelectual e na orientação para as disputas concretas existentes na sociedade.

Palavras-chave: O Príncipe. Formas de Hegemonia. Informação. Transcodificação Cultural.

Abstract

The research aims to investigate through the theoretical concept of the “Prince” the forms of organization of society and the evolution in the forms of hegemony. The media appears as the guiding threads of this process. From this, then, we will shed light on the battle between database and narratives in modern media, in order to understand how language and the various ways of reading can directly interfere in the confrontation of ideas, in the moral, intellectual and orientation towards the actual disputes in Society.

Keywords: The Prince. Forms of Hegemony. Information. Cultural transcoding.

Paper / PDF

Download PDF

 

Bibliografia

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANDRADE, Daniel P.; OTA, Nilton K. Uma alternativa ao neoliberalismo: Entrevista com Pierre Dardot e Christian Laval. In. Tempo Social. vol. 27 n. 1 São Paulo Jan./Jun 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-0702015000100275. Acesso em 03 jan. 2019.

BOFF, Felipe. Entrevista com Marshall McLuhan. Legendado. (1977). Publicado em 01 jun. 2013. 43 min 46 s, Color. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=fvRMpS-aGLE. Acesso em 10 jan. 2019.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais: a longa duração. In: _______. Escritos sobre a História. Trad. J. Guinburg e Tereza Cristina Silveira da Mota. São Paulo: Perspectiva, 2007. p. 41-78.

CANALTECH. Algoritmos de redes sociais formam “bolha política” em torno dos usuários. 29 mar. 2016. Disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/algoritmos-de-redes-sociais-formam-bolha-politica-em-torno-dos-usuarios-60755/. Acesso em 28 abr. 2019.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: a invenção do cotidiano. Vol. 1: Artes de Fazer. São Paulo: Vozes, 1980.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998.

GINZBURG, Carlo. História noturna: decifrando o sabá. São Paulo, Companhia das Letras, 1991.

GINZBURG, Carlo. Medo, reverência, terror.  Quatros ensaios de iconografia política. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

EAGLETON, Terry. A ideia de Cultura. São Paulo. Edunesp, 2011.

__________. Cadernos do cárcere. Vol. 3 Rio de Janeiro: Editora Record, 2000.

IANNI, Octávio. Enigmas da modernidade-mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

___________. O Príncipe Eletrônico. Perspectivas. São Paulo, n. 22, 1999, p. 11-29. In: Revista Eletrônica de Ciências. N. 20, jul. 2003. Disponível em:

< https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/issue/archive > Acesso em 15 jul. 2018.

L’APICCIRELLA, Carlos Fernando. Segurança Pública. Revista Eletrônica de Ciência, n. 20, julho 2003. Disponível em: <http://cdcc.usp.br/ciencia/artigos/art_20/seguranca.html>. Acesso em: 22 Nov. 2017.

LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2010.

LIPOVETSKY. G. & SERROY, J. A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MAIA, Maíra Carneiro Bittencourt. O príncipe digital: estruturas de poder, liderança e hegemonia nas redes sociais. Curitiba: Editora Appris, 2016.

MANIERI, Dagmar. “O conceito de Virtú em Maquiavel”. Revista Crítica História. Ano VI, nº 11, jul. 2015. Disponível em: <http://www.revista.ufal.br/criticahistorica/attachments/article/237/Fluxo%20cont%C3%ADnuo%20120O%20conceito%20de%20virt%C3%B9%20em%20Maquiavel.pdf> Acesso em  18 out. 2018.

MANOVICH, Lev. O Banco de Dados. In Revista Eco Pós. V. 18. 18-42.  Rio de

Janeiro: UFRJ, 2015a. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos/article/view/2366/2024> Acesso em 18 out. 2018>

_____________. Computação Social, Humanidades Digitais e Analítica Cultural. In: Matrizes. Revistas USP. V. 9. N. 2. 2015b. Disponível em : <http://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/111716 >

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Edição: Domínio Público. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&c o_obra=24134>. Acesso em 18 out.2018.

MARTÍN-BARBERO, Jesús.  Dos meios às mediações: comunicação,  cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

McLUHAN, Marshall. “Visão, Som e Fúria”. In: Teoria da Cultura de Massa, comentário e seleção de Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990 – p.141-154.

__________. Os meios de comunicação como extensões do homem . São Paulo, Editora Cultrix, 1964.

MOCHCOVITCH, Luna Galano. Gramsci e a Escola. São Paulo: Ática, 1992.

MOTA, Ronaldo. Marshall McLuhan: o meio era mesmo a mensagem. Disponível em <https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia/2017/01/marshall-mcluhan-o-meio-era-mesmo-a-mensagem-9609613.html > Acesso em 09 jan. 2019.

SANTOS, Milton. Técnica, Espaço e Tempo: Globalização e meio técnico-científico-

informacional. 5ª ed. São Paulo: Edusp, 2008.

SCHÄFER, Mirko Tobias., Van ES, Karin. – The Datafied Society: Studying Culture through Data. Amsterdam University Press, 2017. Disponível em: <http://en.aup.nl/books/9789462981362-the-datafied-society.html>.Acesso em 20 set.2017.

 

  • RSS
  • email
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • MySpace
  • Netvibes
  • StumbleUpon
  • Tumblr
  • Twitter