busca no site


Peirce e a cognição: o potencial do signo-pensamento na concepção de atores culturais e sociais sintéticos

Resumo / Abstract

Luís Roberto Albano Bueno da Silva

resumo

O objetivo deste artigo é introduzir o conceito de signo-pensamento peirceano, dando base para pesquisas futuras que utilizem a semiótica peirceana como teoria-base de processos cognitivos e inteligentes. Para a explicitação deste conceito, uma revisão de semiótica peirceana e sua cognição é feita, bem como sua relação na construção da teoria de signo-pensamento. Posteriormente, são apresentadas as possíveis contribuições desta teoria em pesquisas de sistemas inteligentes que impactam as relações sociais e culturais atualmente.

Palavras-chave: Semiótica. Signo-pensamento. Atores sintéticos. Cognição. Sinequismo.

 

abstract

The aim of this paper is to introduce the concept of Peircean sign-thought, providing the basis for future research using Peircean semiotics as the basis theory of cognitive and intelligent processes. To clarify this concept, a review of Peirce’s semiotics and its cognition is made, as well as its relation in the construction of the signthought theory. Subsequently, the possible contributions of this theory to intelligent systems research that impact social and cultural relations are presented.

Keywords: Semiotics. Sign-thought. Synthetic actors. Cognition. Synechism.

Paper / PDF

Download PDF

Referências

Referências

ARTERO, Almir Olivette. Inteligência Artificial: Teórica e Prática. São Paulo: Livraria da Física, 2009.

COPPIN, Ben. Inteligência Artificial. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

DRIGO, Maria Ogécia.; SOUZA, Luciana. Aulas de semiótica peirceana. São Paulo: Annablume, 2013.

FRANCO, Cristiano Roberto. Inteligência Artificial. Indaial: Editora Uniasselvi, 2017.

GALA, Adelino. Confrontações entre máquinas físicas, máquinas semióticas e máquinas ontológicas. 2016. 157 f. Tese (Doutorado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.

NAKAMITI, Eduardo. Agentes Inteligentes Artificiais. 2009. 91 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

NÖTH, Winfried. Máquinas Semióticas. Galáxia, São Paulo, n. 1, p. 51-73, 2001

______. Panorama da Semiótica: De Platão à Peirce. São Paulo: Annablume, 2003.

PEIRCE, Charles S. The Collected Papers of Charles Sanders Peirce. Vol. I-VI. C. Hartshorne et P. Weiss (eds.), Vol. VII-VIII Arthur Burks (ed.). Cambridge: Harvard University Press, 1931-1958. Referenciado como CP, seguido do número do volume, ponto, e número do parágrafo.

______. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2015.

RUSSEL, Stuart. Human Compatible. Nova Iorque: Viking, 2019.

RUSSEL, Stuart.; NORVIG, Peter. Inteligência Artificial. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

SANTAELLA, Lúcia. A teoria geral dos signos – semiose e autogeração. São Paulo: Editora Ática, 1995.

______. Semiótica Aplicada. São Paulo: Thomson, 2002.

SILVA, Luís Roberto Albano Bueno. Comunicação e Cognição: Aproximações entre máquina semiótica e inteligência artificial. 2018. 148 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura) – Universidade de Sorocaba, Sorocaba, 2018.

TEIXEIRA, João de Fernandes. Inteligência Artificial. São Paulo: Paulus, 2013.

 

  • RSS
  • email
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • MySpace
  • Netvibes
  • StumbleUpon
  • Tumblr
  • Twitter
 فروش فایل آگهی رایگان