busca no site


Transmutações de Björk em Biophilia

Resumo/Abstract

Willian Batista Salvario

Thyenne Veiga Vilela

Resumo

Esta pesquisa apresenta uma análise semiótica da linguagem visual da música-aplicativo Moon, do álbum-aplicativo didático Biophilia (2011), por intermédio do processo de tradução de linguagens. Visando investigar relações construtivas de sentido entre três elementos – música, disciplinas propostas e composição visual – obteve-se o suporte teórico da Semiótica norte-americana (Peirce) e das Traduções Intersemióticas (Plaza). O aplicativo, idealizado pela cantora islandesa Björk, estrutura-se em seu álbum musical homônimo – com um aspecto multidisciplinar e multimídiático – tendo como premissa o ensino de temáticas de Musicologia, Ciências Naturais e Humanidades. A análise ocorreu com a música-aplicativo Moon, em razão de uma pré-análise com as dez músicas-aplicativos. Para o estudo de tradução de linguagens, foi elaborado um sistema de Operação Tradutória dos componentes adotados – orientados pela relação de “Signo em Referência”; “Signo em Substituição”; e “Signo em Definição” – apresentando a tradução dos signos propostos por meio de metáforas visuais e simbólicas.

Palavras-chave: Bjork. Linguagem Visual. Moon. Música-aplicativo. Tradução Intersemiótica.

Abstract

This research presents a Semiotic Analysis of the song app Moon’s visual language, from the didactic app album “Biophilia” (2011), endeavoring to understand constructive relationships between music, suggested subjects and visual composition – related to the translation of languages – with the assistance of theoretical framework from Semiotics (Peirce) and Intersemiotic Translations (Plaza). The app album, conceived by the icelandic singer Björk (based on her homonymous album), discloses multidisciplinary and multimedia aspects, with proposals of teaching Musicology, Natural Sciences and Humanities. The song app analyzed was Moon, due to a previous analysis of each 10 song apps. For the study of the Translation of Languages, we developed an analytic ordering system about the Translation Procedure of the components and languages implemented, guided by the relation of “Signs in Reference”; “Signs in Substitution”; and “Signs in Definition” – examining the translation of signs proposed in the construction of its visual and symbolical metaphors.

Keywords: Bjork. Moon. Song App. Translation of Languages. Visual Language.

Paper / PDF

Download PDF

 

Bibliografia

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BERNE, Robert M. et al. Fisiologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.

BIOPHILIA EDUCATIONAL. LEARNTEACH: Biophilia in a school setting. Ministry for Education, Science & Culture e Biophilia Education, [2017]. Disponível em: <http:// http://biophiliaeducational.org/>. Acesso em: 10 abr. 2017.

BJÖRK. Moon – Infos et Paroles. Bjork.fr, 2017a. Disponível em: <http://bjork.fr/Moon>. Acesso em: 1 out. 2017.

BJORK.FR. Biophilia – bjork.fr. Bjork.fr, 2017b. Disponível em: <http://bjork.fr/-Biophilia-special-> Acesso em: 18 maio 2017.

CARLINI, Álvaro L. R. S.  A música e a matemática. In: MAIA, Eny Marisa (Coord.); MURRIE, Zuleika de Felice (Coord.). Arte: Projeto Escola e Cidadania para Todos. São Paulo: Editora do Brasil, 2005.

CDCC (USP). As Fases da Lua. Centro de Divulgação da Astronomia, USP, 2004. Disponível em: <http://cdcc.usp.br/cda/aprendendo-basico/fases-lunares/fases-lunares.htm>. Acesso em: 29 ago. 2017.

DAZED & CONFUSED. Björk Unveils Live Residency. Dazed & Confused, 2011. Disponível em: <http://dazeddigital.com/music/article/10006/1/bjork-unveils-liveresidency>. Acesso em: 8 abr. 2017.

DIBBEN, Nicola. Biophilia – The Manual Edition. Wellhart Ltd., 2011. Disponível em: <http://bjork.fr/Biophilia-Manual>. Acesso em: 8 abr. 2017.

FRIAÇA, Amâncio C. S. et al. (Org.). Astronomia: Uma Visão Geral do Universo. 2 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

MILLER, Clair Cain. Bjork, Icelandic Singer and…Venture Capitalist? The New York Times. Disponível em: <https://nyti.ms/2Iafksd> Acesso em: 10 abr. 2017.

NEVES, Paulo César Pereira das. Introdução à mineralogia prática. Canoas: Ed. ULBRA, 2008.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2005.

PINTO, Julio. 1,2,3 da semiótica. Belo Horizonte: UFMG, 1995.

PLAZA, Julio. Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2001.

SANTAELLA, Lucia. Matrizes da linguagem e pensamento: sonora, visual, verbal: aplicações na hipermídia. 3 ed. São Paulo: Iluminuras: FAPESP, 2005.

SCHMIEGELOW, João M. Miragaia. O Planeta Azul: Uma Introdução Às Ciências Marinhas. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

SILVERTHORN, Dee Unglaub. Fisiologia Humana: Uma Abordagem Integrada. Porto Alegre: Artmed, 2017.

SMITH, Caspar Llewellyn. Bjork develops Biophilia while Damon Albarn shuns Tudor dress for festival. The Guardian, 2011. Disponível em: <https://theguardian.com/culture/2011/mar/18/bjork-albarn-manchester-international-festival>. Acesso em: 11 abr. 2017.

SNIBBE, Scott. Björk: Biophilia. Scott Snibbe, 2011. Disponível em: <https://snibbe.com/apps – /biophilia/>. Acesso em: 16. abr. 2017.

STOSUY, Brandon. Stereogum Q&A: Björk Talks Biophilia. Stereogum, 2011. Acesso em: 27 ago. 2017. Disponível em: < http://stereogum.com/744502/stereogum-qa-bjork-talks-biophilia/franchises/interview/>

UERJ. OCEANOGRAFIA BIOLÓGICA. UERJ, Faculdade de Oceanografia (FAOC), [2017]. Acesso em 24 de set. 2017. Disponível em <http://oceanografia.uerj.br/ocnbio/index.php>.

UFRGS. História da Astronomia. UFRGS, [2017]. Disponível em: <http://www.if.ufrgs.br/tex/fis01043/20042/felipe/historia.html>. Acesso em: 28 ago. 2017.

TURIN, Roti Nielba. Aulas: introdução ao estudo das linguagens. São Paulo: Annablume, 2007.

 

  • RSS
  • email
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • MySpace
  • Netvibes
  • StumbleUpon
  • Tumblr
  • Twitter